Capítulo 1 — The Challenge of a Material World


Being As Communion, a Metaphysics of Information
de William Dembski (237 páginas)

Neste capítulo inicial, o autor traça alguns aspectos da cultura moderna, e como ela influencia o pensamento científico.

Apesar de vivermos numa era da informação, muito da cultura intelectual é ainda assim materialista, no sentido de conceber o mundo em termos materialistas. A própria informação é entendida como uma propriedade material, fazendo dela uma propriedade emergente da matéria. Questiona-se então se a informação realmente pode ser concebida em termos materiais, ou se é a própria matéria que é uma expressão de informação.

Boas razões para duvidar do materialismo sempre existiram. A cultura de massa hoje se opõe à cultura intelectual secular, acreditando que exista algum tipo de teleologia no universo, ou que os humanos estão aqui por algum propósito e que o próprio universo seja resultado de um propósito. O desafio de tentar explicar toda a realidade em termos materialistas levanta sérios questionamentos: como seria possível que seres conscientes compostos apenas de matéria poderiam saber que eram constituídos apenas de matéria? A princípio, a matéria não teria essa capacidade de produzir agentes que pensam, ou que formulassem representações sobre o mundo, ou que julgassem tais representações como verdadeiras. Esse questionamento evidencia a incoerência autorreferente do materialismo.

Porém, não é esse ”materialismo metafísico” que é o mais visível na atualidade, mas sim o materialismo metodológico (ou naturalismo metodológico). A ideia do naturalismo metodológico é a de que, a fim de responder aos questionamentos mais sérios na ciência, é melhor que se trate o mundo como ele se fosse puramente material, deixando de lado fatores não materiais. Justifica-se o sucesso da ciência com essa ideia, e ela tem sido o princípio regulador do questionamento científico. Portanto, o mundo do naturalismo metodológico opera somente por leis naturais invioláveis, e nesse mundo, apenas a necessidade física e o acaso (ou alguma combinação dos dois) são consideradas causas explanatórias válidas. Esse materialismo afeta fundamentalmente a compreensão do mundo e a visão sobre a liberdade humana — assunto que será tratado no capítulo 2.

Próximo capítulo:
Capítulo 2 — Free Will: The Power of No

Link do índice:
Indice


Referências

William Dembski, Being As Communion: A Metaphysics of Information. Ashgate Publishing Company, 2014, pp. 1-9.

Site do livro beingascommunion.com.

Site da Amazon para compra do livro.

Entrada sobre o livro Being As Communion na WikiTDI.

Anúncios